Morcegos

01 Junho 2020

 

Chiroptera é formada por mais de 1.200 espécies, o que faz com que os morcegos sejam uma das maiores ordens de mamíferos.

Os quirópteros se dividem em duas subordens: megamorcegos e micromorcegos.

Os megamorcegos – São conhecidos como raposas-voadoras – eles possuem uma visão extraordinária e se alimentam de várias frutas e néctar.

Os micromorcegos têm como principal característica a eco localização e um apetite por insetos e sangue.

Uma grande colônia de morcegos, não é necessário investir em pesticidas nocivos para a agricultura. Isso porque um único morcego come mais de 600 insetos por hora – o que faz desse animal uma excelente alternativa orgânica no controle de pestes. Com a ajuda deles, a agricultura economiza bilhões de reais.

Esse recurso se encontra ameaçado. Os cientistas buscam entender como será no futuro desses animais na América do Norte na próxima década, já que eles estão sofrendo com a perda de hábitat e com doenças.

Algumas espécies de morcegos se alimentam de sangue, mas, essas criaturas não chupam o sangue dos animais, eles usam seus dentes afiados para fazer um pequeno corte na pele do animal.

Apenas duas colheres de sopa são uma dose diária suficiente para o morcego e uma quantidade que não causa nenhum prejuízo à vítima. Ainda, a saliva dessas espécies é composta por uma substância anestésica que impede que o animal sinta o corte.

De ponta cabeça!! Isso mesmo...Essa posição é fundamental para que os morcegos conservem energia. Isso tudo porque o sistema circulatório desses animais é bastante diferente do nosso.

 

 

Os morcegos passaram por adaptações que garantem que o sangue seja bombeado para as extremidades e distribuído igualmente em todo o seu corpo quando ele está de ponta-cabeça.

Fábio Augusto de Souza - Biólogo - CRBio 56764/01-D pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC).
Aluno da pós-graduação em Entomologia Urbana no Centro de Estudos de Insetos Sociais (CEIS) da Universidade Estadual Paulista (UNESP).
Especialista Ambiental na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).
Técnico Ambiental na Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETECAP).
Possui ciclo de Cursos avançados de controle integrado de pragas e atuação em projetos de identificação e controle de insetos pragas no Instituto de Zootecnia de Nova Odessa (IZ).

Website.: www.manejopragas.com.br

Mais recentes de Fabio Augusto de Souza - Biólogo

Itens relacionados (por marcador)

Mais nesta categoria: « Abelha azul Cupins »

Pesquisa

Precisando de dedetização, descupização, desratização?