WeCreativez WhatsApp Support
Nossa equipe de suporte ao cliente está aqui para responder às suas perguntas. Pergunte-nos qualquer coisa!
Olá, como posso ajudar?
Campinas e Região (19) 3307-2908 | São Paulo e Região (11) 4317-7509 | Whatsapp (19) 97402-9610 | CEVS- 350950240-812-000020-1-1 contato@manejopragas.com.br

Hábitos

Em áreas urbanas as espécies de baratas mais comuns são duas: a barata de esgoto (Periplaneta americana) e a francezinha ou alemãzinha (Blatella germanica). São ativas principalmente à noite quando deixam seus abrigos à procura de alimentos.

Possuem hábitos alimentares bastante variados, preferindo àqueles ricos em amido, açúcar ou gordurosos. Podem alimentar-se também de celulose como papéis, ou ainda excrementos, sangue, insetos mortos, resíduos de lixo ou esgoto. Tem o hábito de regurgitar um pouco do alimento parcialmente digerido e depositar fezes, freqüentemente ao mesmo tempo em que se alimentam. Preferem locais quentes e úmidos.

A barata de esgoto normalmente habita locais com muita gordura e matéria orgânica em abundância como galerias de esgoto, bueiros, caixas de gordura e de inspeção. São excelentes voadoras.

A barata francezinha habita principalmente cozinhas e despensas em locais como armários, gavetas, interruptores de luz, aparelhos eletrodomésticos, dentro de vãos de batentes, rodapés, sob pias, dutos de fiação elétrica e locais como garagens ou sótãos com depósitos de papel e principalmente caixas de papelão, entres outros. Passam 75% do seu tempo abrigadas próximos aos alimentos.

Percebe-se que um local está infestado por baratas através de sinais como fezes, ootecas vazias, esqueletos ou cascas de ninfas quando estas se transformam em adultos, e em altas infestações, observa-se as baratas durante o dia e há odor característico e desagradável.

Ciclo de vida

As baratas colocam os seus ovos em uma cápsula chamada ooteca. Essa ooteca pode ser carregada pela fêmea até próximo à eclosão dos ovos (Blatella germanica), ou depositam em local apropriado, normalmente frestas, fendas, gavetas ou atrás de móveis (Periplaneta americana). Cada ovo dará origem à uma ninfa, que através de várias mudas dará origem ao inseto adulto. As ninfas são menores que as adultas, não possuem asas e são sexualmente imaturas.

Baratas

A francesinha vive em média 9 meses, coloca em média 5 ootecas ao longo de sua vida com 30 à 50 ovos dentro de cada ooteca. A barata de esgoto vive de 2 a 3 anos, ovipõe de 10 a 20 vezes e com 12 a 20 ovos em cada ooteca. Quanto maior a temperatura e a umidade, menor será o tempo para o ovo chegar à fase adulta.

Importância para a saúde

As baratas domésticas são responsáveis pela transmissão de várias doenças:principalmente gastroenterites, carreando vários agentes patógenos através de seu corpo, patas e fezes, pelos locais por onde passam (são por isso consideradas vetores mecanicos).

 

Medidas Preventivas

As medidas preventivas baseiam-se no controle ambiental. Deve-se interferir nas condições de abrigo e alimento.

  • Inspecionar periódica e cuidadosamente caixas de papelão, caixotes, atrás de armários, gavetas, e todo tipo de material que adentre ao ambiente e possa estar servindo de transporte ou abrigo às baratas e suas crias;
  • Limpar o local total e cuidadosamente e todos os pertences nele inclusos (fornos, armários, despensas, eletrodomésticos, coifas, sob pias), onde quer que possa acumular gordura e restos alimentares;
  • Acondicionar o lixo em sacos plásticos e dentro de latas apropriadamente fechadas e limpas;
  • Vedar frestas , rachaduras e vãos que possam servir de abrigo;
  • Colocar telas, grelhas, ralos do tipo “abre-fecha“, sacos de areia ou outros artifícios que impeçam a entrada desses insetos através de ralos e encanamentos.

 

A Manejo Pragas é especializado em soluções contra pragas urbanas em geral. Atendendo Campinas e região.

Baratas

Fabio Augusto de Souza - Biólogo

Fábio Augusto de Souza – Biólogo – CRBio 56764/01-D pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC).
Aluno da pós-graduação em Entomologia Urbana no Centro de Estudos de Insetos Sociais (CEIS) da Universidade Estadual Paulista (UNESP).
Especialista Ambiental na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).
Técnico Ambiental na Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETECAP).
Possui ciclo de Cursos avançados de controle integrado de pragas e atuação em projetos de identificação e controle de insetos pragas no Instituto de Zootecnia de Nova Odessa (IZ).