Moscas

10 Junho 2020

 

moscas 01

As moscas são encontradas por toda parte, sendo a quarta maior incidência de insetos, com 110.000 espécies.

Dispersam se ao acaso, de preferencia para os locais de maior atratividade devido aos odores levados pelo vento.

Na área urbana, as mais importantes são MUSCA DOMESTICA e FANNIA SP

 

  • MUSCA DOMESTICA

Seus hábitos procriam em material orgânico em decomposição, principalmente no lixo. Alimentam se de fezes. Pousam em todos os locais, contaminando utensílios e alimentos.

 

  • FANNIA SP

Seus hábitos voam aleatoriamente do nascedouro para os alimentos, carregando patógenos, podendo transmitir várias doenças. Também podem transmitir vermes intestinais.

Ambos demonstram falta de higiene no ambiente ou arredores que transmitem doenças  como:

  • Conjuntivite
  • Salmonelose
  • Tuberculose
  • Verminoses 

 

Uma infestação de moscas representa um grande risco à saúde. Pesquisadores da Universidade Estadual da Pensilvânia identificaram cerca de 351 tipos de bactérias em uma mosca doméstica, as quais podem causar:

  • Salmonelose
  • Diarreia
  • Febre
  • Tifoide

 

Estas doenças são transmitidas porque as bactérias ficam grudadas no pelo, patas e saliva da mosca e acabam sendo liberadas sobre a comida quando entram em contato direto. Além disso, as moscas ingerem bactérias patogênicas que se mantêm vivas durante alguns dias dentro do inseto e podem ser depositadas no alimento quando a mosca utiliza a saliva para comer.

 

As fêmeas procuram por matéria orgânica em decomposição, resíduos alimentares para colocarem seus ovos, como fezes, lixo, alimentos estragados, ambientes com longo tempo sem limpeza, “pontos mortos” em equipamentos, tubulações sujas e cadáveres de animais.

 

As moscas precisam de apenas alguns segundos para transferir os microrganismos para a superfície.

As moscas estão divididas em mais de 100 mil espécies, dentre elas a mosca-varejeira, a mosca-das-frutas e a mosca doméstica. O ciclo de vida médio é de aproximadamente 30 dias. Durante esse período passam do ovo à forma adulta, sendo que no período de 8 a 24 horas a larva nasce e, em seguida, começa a comer o residual ambiente.

 

No terceiro dia, a camada externa da larva endurece e forma um casulo. Após três a seis dias ela passa à fase adulta.

Durante a fase reprodutora, uma mosca bota cerca de 100 a 150 ovos.

Há grande dificuldade de se encontrar os locais onde elas se desenvolvem, portanto no controle de moscas é importante estar atento ao seguinte:

 

  1. Elimine o residual (matéria orgânica) que está atraindo este inseto como lixo exposto, resíduos orgânicos no ambiente, equipamentos sujos.
  2. Instale pontos estratégicos de armadilhas luminosas e biológicas que irão atrair os insetos que estão no ambiente.
  3. Remova água parada, pois as moscas necessitam de umidade para se reproduzir
  4. As moscas possuem hábitos diurnos e são atraídas por luminosidade. Facilmente você as encontrará nesses ambientes.
  5. As moscas são sensíveis a fluxos de ar. Ventiladores e cortinas de ar repelem os insetos.
  6. Ralos, quando sujos e com detritos, são grandes atrativos, então realize uma frequente limpeza desses pontos.
  7. Lixeiras: garanta que os recipientes de lixo estejam adequadamente fechados.
  8. Garanta que não existam alimentos à disposição das moscas.
  9. Instale telas mosqueteiras nas janelas, portas, exaustores, passagens de ar.
  10. Acabe com a desorganização do ambiente. Remova itens armazenados no chão, equipamentos sujos, sacos sujos mal acondicionados em áreas externas.

 

O controle de pragas em geral precisa ser feito por uma empresa especializada. A contratação ou consultoria de uma empresa legalizada no combate e controle de pragas, são os primeiros passos para uma eficiente dedetização.

Nos dias de hoje tem diversas empresas que "dizem" ter a melhor solução para controle de pragas e se baseando nisso, quem necessita de dedetização precisa ficar atento as certificações e alvarás  de funcionamento da empresa que executara o trabalho de dedetização. Garantindo assim segurança na execução e para os frequentadores do local dedetizado.

Fábio Augusto de Souza - Biólogo - CRBio 56764/01-D pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC).
Aluno da pós-graduação em Entomologia Urbana no Centro de Estudos de Insetos Sociais (CEIS) da Universidade Estadual Paulista (UNESP).
Especialista Ambiental na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).
Técnico Ambiental na Escola Técnica Estadual de São Paulo (ETECAP).
Possui ciclo de Cursos avançados de controle integrado de pragas e atuação em projetos de identificação e controle de insetos pragas no Instituto de Zootecnia de Nova Odessa (IZ).

Website.: www.manejopragas.com.br

Mais recentes de Fabio Augusto de Souza - Biólogo

Itens relacionados (por marcador)

Mais nesta categoria: « Cupins Pulgas »

Pesquisa

Precisando de dedetização, descupização, desratização?